sexta-feira, 29 de setembro de 2006

Sozinho é estar;
Sozinho no meu canto.
Voando com os pássaros,
Aguardando o momento.
Para ter você.
Cantando, gritando.
Vendo as coisas pela janela.
Escutando barulhos,
Barulhos que passam o tempo.
E você não vem.
Chegou a hora de eu contar
Tudo o que eu sentia,
E você reagiu ao meu amor.
As coisas são complicadas.
Faço promessas.
Quantas coisas boas.
Se eu lhe escondo as verdades é para ti proteger.
Trago-te no colo.
Busco-te sem carro.
Meu amor.
Dizem que estou louco, por ti querer assim.
Tão longes, me perder noites de sonho, só para ti ver dormir.
Os meus amigos todos, nem sabem da gente.
Por que quem ama nessa vida, as vezes ama sem querer.
É por isso que eu lhe chamo minha flor.
Meu bebe.
As vezes te odeio por quase um segundo, depois, te amo mais.
Teu cheiro teu rosto. Tudo o que não me deixa em paz.
Eu tive um sonho ruin, e acordei chorando por isso eu te liguei.
Pensando, no que aconteceu,
Eu te avisei eu fui a luta
O pessoal gosta de ver a gente por baixo.
Mas eu fui a luta.
Sozinho é estar;
Sozinho no meu canto
To te esperando!
Meu amooorr...

quarta-feira, 27 de setembro de 2006


A decepção, é algo que dói,
Dói no corpo, dói na alma.
A decepção de um amigo
De um amor.
O meu grito, não é de te amo.
O meu grito e para espantar a dor.
Nunca confie em ninguém.
Quando o mais belo ser disse isso.
Você sempre confia em alguém.
E continua confiando.
Mas no final você sempre cai.
Eu escrevo uma carta,
Completo meu ciclo do amor
Onde só tombos, e perdoes;
Compre um jornal, e vai ver
o sol que continua a brilhar.
Viva a tua vida na melancolia de um ser para machucar..
Eu poderia dizer que me odeio, mas amo os beija-flores.
Você rasga as cortinas, de sua casa.
E nas paredes do quarto, ratos envenenados.
Suas mentiras só pioram.
E destroem cada vez mais.
Algo que ia acontecer, talvez quando a gente crescer!
E agora de que me resta do amor?
A gente tinha tantas coisas em comum.
Quando a gente conversa, contando besteiras.
Eu apenas queria ficar feliz!
Mas nem ao menos eu posso te tocar.
Amor virtual!
Mentiras sinceras!
Pensamentos na casa, em uma novela....
A decepção, é algo que dói,
Dói no corpo, dói na alma.
De um amor perdido.!

terça-feira, 26 de setembro de 2006


Só estava pensando no tempo
Ouço gritos, meus dedos congelam;
Penso nos meus amores, que ainda não conquistei;
Sinto dores, é como fogo acendesse sobre mim,
Começando por baixo;
Você não arrumou a sua cama,
Tentou me destruir,
O amor é algo que acaba com a gente a cada dia,
E quando acaba a gente pensa que ele nunca existiu;
Para que fazer tudo o que queremos.
E depôs o que vem depôs?
Se você esta sempre dizendo que quer mais;
O que mais vai querer quando chegar ao que queria;
O sol já apagou a sua luz
As pessoas fazem filas
As pessoas entram nos bares.
Ficam bêbadas e acabam com suas vidas
Com seus salários de fome.
Olhei para as estrelas e me apaixonei.
Lembrai-me, dos teus olhos com seu perfume no pescoço.
Eu vou fugir desta casa de miséria
Eu vou acabar com a festa
Para você que me ensinou que a tristeza depôs salva.
Só olho pela janela imaginando o mundo em chamas;
Vejo apenas você pedindo perdão;
Apenas suplicando aos judeus da palestina;
Qual é a cor do amor?
A minha parede esta forrada com fontes de jornais.
Armando meus planos.
O que a historia ensina.
Aos homens que inventaram a humanidade.
Viver no mundo e encarar as possibilidades
Eu apenas louvo o meu herói que foi tocado pelo vírus da AIDS!
O que me interessa, aos pais com suas namoradas.
Flores na boca. Com seus dentes podres do amor!

O pensamento é o ensaio da ação

Seguidores


Somente pela negação da vontade, pela castidade, a pobreza, o amor e o jejum, pode-se atingir a sabedoria.
Ocorreu um erro neste gadget