terça-feira, 26 de setembro de 2006


Só estava pensando no tempo
Ouço gritos, meus dedos congelam;
Penso nos meus amores, que ainda não conquistei;
Sinto dores, é como fogo acendesse sobre mim,
Começando por baixo;
Você não arrumou a sua cama,
Tentou me destruir,
O amor é algo que acaba com a gente a cada dia,
E quando acaba a gente pensa que ele nunca existiu;
Para que fazer tudo o que queremos.
E depôs o que vem depôs?
Se você esta sempre dizendo que quer mais;
O que mais vai querer quando chegar ao que queria;
O sol já apagou a sua luz
As pessoas fazem filas
As pessoas entram nos bares.
Ficam bêbadas e acabam com suas vidas
Com seus salários de fome.
Olhei para as estrelas e me apaixonei.
Lembrai-me, dos teus olhos com seu perfume no pescoço.
Eu vou fugir desta casa de miséria
Eu vou acabar com a festa
Para você que me ensinou que a tristeza depôs salva.
Só olho pela janela imaginando o mundo em chamas;
Vejo apenas você pedindo perdão;
Apenas suplicando aos judeus da palestina;
Qual é a cor do amor?
A minha parede esta forrada com fontes de jornais.
Armando meus planos.
O que a historia ensina.
Aos homens que inventaram a humanidade.
Viver no mundo e encarar as possibilidades
Eu apenas louvo o meu herói que foi tocado pelo vírus da AIDS!
O que me interessa, aos pais com suas namoradas.
Flores na boca. Com seus dentes podres do amor!

Um comentário:

karine stefani disse...

Perfeitooo
amei isso
Vi eh perfeito
;D
\o/
bjooo


O pensamento é o ensaio da ação

Seguidores


Somente pela negação da vontade, pela castidade, a pobreza, o amor e o jejum, pode-se atingir a sabedoria.
Ocorreu um erro neste gadget